Os Sete Elementais

As forças do mundo, os grandes elementais, os Sete, os sete espíritos. São alcunhas deste panteão, muito cultuado por Elfos, Drows, Gnomos e Halflings de todo o mundo de Sunaeske, tendo inclusive alguns humanos fiéis. E dependendo de região para região, possuem algumas diferenças, mas nada que atrapalhe o entendimento dos seus seguidores.
Os clérigos destes deuses são sempre associados a um elemental, e não é raro que clérigos viajantes desta religião nunca andem sozinhos, sempre em grupo de dois ou três, ou todos os sete tipos juntos, pois eles acreditam que a força reside na união de seus seguidores.

Não são contadas histórias sobre a criação neste culto pois eles acreditam que a própria história é feita pela criação, os Elementais apenas provêm as condições para que tudo aconteça.

Domínios
Cada um dos Elementais rege uma virtude e combate um defeito que vêm dele próprio, como símbolo de que a primeira coisa que se deve enfrentar é a si mesmo e vencer seus próprios obstáculos. Os sete elementais são:

Firenza – Elemental do Fogo, reside no sol e no interior de vulcões, senhora do vermelho, dos grandes corações e da coragem de espírito. Rege a Diligência e combate a Ira.

Fálkila – Elemental do Ar, reside no vento e nas alturas celestes, senhora do laranja, liberdade e das criaturas mágicas. Rege a Temperança e combate a Vaidade.

Marin – Elemental da água, reside nos mares e rios, senhor do azul, das correntes aquáticas e do desconhecido. Rege a Generosidade e combate a Preguiça.

Tron – Elemental da Terra, reside nas montanhas e depressões, senhor do amarelo, das riquezas e da estabilidade, da força e dos campos. Rege a Paciência e combate a Avareza.

Vitana – Elemental da Vida, reside em todas as criaturas vivas, senhora do verde, dos fios da vida e de todas as criaturas não-mágicas. Rege a Caridade e combate a Luxúria.

Xablau – Elemental da Morte, reside em todas as criaturas mortais, senhor do roxo, das tramas e das criaturas não-vivas. Rege a Castidade e combate a Inveja.

Cronya – Elemental do tempo, reside onde quer que o tempo passe, senhora do rosa, da organização e das festividades, estações e ela quem diz o que vai acontecer. Rege a Humildade e Combate a Gula.

Tipos de Culto

As senhoras Vitana e Cronya são responsáveis pela maioria das celebrações e festas desta religião, os outros elementais são considerados suporte das duas nas celebrações, e todos os clérigos são bem-vindos em todas as festas. Quando numa festividade um clérigo de Cronya não está presente, um de Vitana pode muito bem tomar seu lugar e vice-versa.
Outros tipos de festas, exemplo o festival do fogo, só não são permitidos outros Elementais que possam apagar ou Inutilizar o fogo, como por exemplo, Marin e Fálkila.

Locais de Culto
Não existem templos entre os fiéis de elementais, pois eles acreditam que seus deuses estão em todas as partes do mundo, unidos e misturados, por isso a maioria dos seus clérigos são viajantes ou então residem em algum lugar próximo ao Elemental ao qual são ligados, e todos eles procuram ser o mais próximos possível do povo, pois a elemental da vida está sempre mandando as criaturas se entrosarem.

Este culto não é recente, data de eras antigas, e muitas culturas prezam que a verdadeira história da criação são os elementais que criaram tudo que existe e cuidam de suas criações para que não se aniquilem.

Curiosidades

- Embora todos sejam cultuados como numa união, nenhum deles tem nenhum parentesco entre si.
- Todos os Elementais são representados como uma figura humanoide coberta ou feita pelo seu elemento, exemplo Firenza é uma mulher feita de fogo, Marin é um homem feito de água, etc..
- Todos os Elementais possuem um símbolo pequeno representado pela sua cor e seu elemento.
- Quer ameaçar alguém de morte? Grite XABLAU! bem alto pra ela. Essa palavra está tão arraigada na cultura comum que existem variações, como “seu Xablau!” pra qualquer pessoa que seja malfeitora.

Os Sete Elementais

Sunaeske AnerolSevla